sexta-feira, 30 de abril de 2010

Becos Sem Saída


Estou num tempo, que nem sei se será o meu, por saber que irei estar num tempo só nosso, nalgum sítio paralelo Mundi-Universo. Sei que as lágrimas que em muitos dias e muitas noites se acumulam, farão deste meu sentido que dou à vida, um rio que corre, e não parará de encher até se completar este novo ciclo. Estou num tempo vivo de forças mortas, mas sei que nos trarão a iluminação “divina” e nele estarás comigo, porque eu sou a metade que se juntará à outra metade, e juntas farão das duas uma só, em função da vida que já vivemos e das que iremos ainda viver.

Mereço a terra, mereço o chão onde me devasso, mereço o céu onde me desfaço em partículas miudinhas, mereço um castigo ainda maior, se me deitar nos TEUS braços e ficar adormecida até ao próximo Inverno. Invariavelmente serei a dor que me arruína a solução aquosa da vida já gasta no meu corpo. Emagrecemos os gestos, mas faremos da vida um tempo inerte de amontoados seres em comunicação com a magnitude de um mesmo centro convexo por natureza morta, mas estático e estilizado por outras viventes nas luxúrias de um tempo castrado e ensandecido nas montanhas de um pensamento. Escalaremos o mundo para trazer à vida um sonho novo, e renovaremos as letras e as palavras que se quiserem entabular nas frases expostas, sendo um só movimento circunscrito pelo tempo que as quisermos.

Haveremos de falar! Haveremos de nos mostrar, quando nos olharmos de frente e nas diferenças, procurarmos a solução para que alguns organizadores de rastilho na mão, incendeiem a dor dos que se fragmentam sempre com uma mão no centro do seu corpo, e a outra nos centros estáticos de um poder imensurável mas castrador de mentes ensandecidas nos submundos. É aí que impera o silêncio que se acumula aos molhos e se purifica, por não saber como falar do mundo que nos acolheu desde que se prontificou para morrer num beco sem saída.

2 comentários:

  1. Lindo texto, muito profundo.

    Sonhadora

    ResponderEliminar
  2. O texto é de uma reflexão profunda, desencantamento mas descrito em um excelente texto!
    beijo, ótimo fim de semana

    ResponderEliminar